Uíge


UÍGE
Área Total
58.698 Km2

População
1.426.354

Temperatura
24ºC

Clima
Tropical Húmido

16 Municípios


Uíge é uma província de Angola com uma área de 58 698 km² e a sua população é de 1,4 milhões de habitantes aproximadamente.

Fica localizada no extremo norte do país, e suas fronteiras são a norte e leste, com a República Democrática do Congo, a sudeste, com a província de Malanje, a sul com as províncias de Kwanza Norte e do Bengo, e a oeste, com a província do Zaire.

É constituída por 16 municípios:

Ambuíla
Bembe
Buengas
Bungo
Damba
Alto Cauale
Maquela do Zombo
Milunga
Mucaba
Negage
Puri
Quimbele
Quitexe
Sanza Pombo
Songo
Uíge

Luanda fica a cerca de 345 km e M’Banza Congo a 314 km.

A capital da província também tem a designação de Uíge. Em 1955 a Vila do Uíge passou a designar-se Vila Marechal Carmona, em honra do antigo presidente português Óscar Carmona, mantendo-se o distrito de que era sede com o nome Uíge. Depois de ser elevada a cidade, passou a denominar-se simplesmente Carmona. Em 1975, readquiriu o nome original de Uíge.

Cidade de Uíge

Clima

O clima é tropical húmido com uma temperatura média anual de 24ºC. Quanto a estações, só é possível distinguir duas: o tempo quente, chuvoso, que vai de Setembro a Maio, e o de Junho a Agosto, período do cacimbo.

Acessos

Uíge tem 2 aeroportos, um na cidade de Uíge e outro no Negage.

Aeroporto na cidade de Uige

De Luanda, é possível chegar pela estrada atravessando a província do Bengo.

População

A lingua mais falada é o Kicongo e os grupos étnicos são maioritariamente dos Bakongo, Kimbundu e Ovimbundo.

Universidade Kimpa Vita

Economia

A agricultura e o comércio são os sectores de peso no Uíge, que foi em tempos considerada a ‘capital’ angolana do café.

O clima do Uíge é quente, por isso se propicia ao cultivo de café, mandioca, dendém, amendoim, batata doce, feijão, cacau, sisal e outros em menor escala.

A pecuária, relativamente ao gado bovino, suíno, e caprino é exercida em todo o território, principalmente nos municípios de Negage, Bungo, Alto Cauale, Puri Kangola, Sanza Pombo, Songo, Damba e Maquela do Zombo. Nos municípios de Uíge e Negage destaca-se a avilcultura.

Na piscicultura está patente uma área total de 217.400m2 nos municípios de Uíge e Negage. A pesca artesanal é desenvolvida ao longo do rio Cuango, no município de Quimbele.

Os recursos minerais são o cobre, cobalto, calcário, enxofre e dolomite, talco e zinco.

Actualmente, a província começa a explorar as madeiras da floresta tropical densa que ocupa uma boa parte da região.

Na província produz-se cestos, cadeiras e alcofas de junco. Os produtos são vendidos em mercados, principalmente em Quimbele.

Natureza

O território possui grandes manchas florestais e bastante arborizada. As regiões cafeícolas do Negage, Quitexe, e Damba são típicas, ocupando grandes extensões de matas cerradas com árvores para o corte de madeira. Os Municípios de Milunga, Quimbele e Buengas também constituem importantes produtores de madeira.

Na reserva florestal do Beu, a vegetação é do tipo mosaico, floresta densa. Pode-se encontrar a vegetação ribeirinha muxito, periguineense, em aluviões, bosques e savanas. A reserva está limitada a norte pela fronteira com a República Democrática do Congo, a oeste com o rio Zadi, a leste com o rio Beu, a sul com a comuna do Beu.

A Província do Uíge é uma região de caça abundante, de uma maneira geral, há por toda parte um pouco de cada espécie de animais incluindo o elefante que pode ser encontrado em manadas nas margens dos rios Loge, Coge, Lucunga e Cuilo.

Na sua fauna encontramos animais como elefantes, búfalos, porcos do mato, antílopes, macacos azuis e ainda várias espécies raras.

O Uíge tem uma bacia hidrográfica que podemos chamar de médio porte, por haver rios de grande caudais. Os rios mais importantes desta província são o Zadi, Dange, Lúria, Lucala e Luvulu. Em geral, estes rios são navegáveis por pequenas embarcações até 20 quilómetros da foz, sendo também possível a prática da pesca desportiva.

A Província do Uíge é uma região bastante acidentada, não diferindo muito das características gerais do País. Toda sua
extensão é constituída por grandes zonas montanhosas.

Planáltica, constituída maioritariamente pela bacia dos sub-afluentes do rio Zaire, cujas águas correm para o norte. Esta zona é ondulada, mas, com ravinas fundas, principalmente nos rios de maior caudal, não sendo contudo navegável em toda a sua extensão;
Zona da Bacia do rio Mbrige, que se situa a sudoeste da linha Pete-Mucaba-Songo-Mabaia. Esta zona também é ondulada e de ravinas profundas; junto dos rios, baixa e pouco ondulada;
Zona Montanhosa, a qual abrange o interior da província, sobretudo dos rios Loge e Dange, assim como as bacias dos afluentes.

Nesta região destacam-se as seguintes serras que constituem a linha divisória das bacias hidrográficas mais importantes da Província do Uíge:

Cazundo
Luege
Ambuila
Calambinga
Quitoque
Pingano
Camanga
Uige
Mucaba
Toto Lefunde
Massarelo
Quimbumba

A Visitar

A província do Uíge tem belezas naturais e inúmeros sítios históricos para visitar:

Quedas do Bombo sobre o rio Cuilo
Quedas do Massau;
Quedas de Camulungo;
Lagoa do Feitiço
Lagoa de Luzamba
Lagoa de Mavoio
Lagoa do Sacapete
Vale do Loge
Morros do alto Caual
Pedra de N’Zinga N’Zambi
Pedra de Kakula Quimanga
Pedra do Tunda fica situada no Negage
Reserva Florestal do Beu, com uma área de 1.400 Km². A vegetação é do tipo mosaico, floresta densa. A reserva está limitada a norte pela fronteira com a República Democrática do Congo, a oeste com o rio Zadi, a leste com o rio Beu, e a sul com acomuna do Beu
Antiga Administração do Concelho
Casas Antigas do Estado
Busto do Heroi N`bemba;fica na entrada do bairro N’Bemba N’Gango, no Uíge e foi um soba da cidade
Igreja de São José, junto das pedras do Encoje, datadas do século XVIII
Fortaleza do Bembe, construída no século XX, situa-se junto da igreja de S.José
Figuras rupestres de Kisadi
Pinturas rupestres da Cabala
Ponte Mágica sobre o rio Vamba Wa Mbamba
Ruina do Fortim de Maquela
Túmulo do Ancião Mekabango, grande guerreiro na resistência contra a ocupação colonial
Túmulo do Grande Rei Mbianda-Ngunga, guerreiro da resistência à ocupação

Festas

As festas da Cidade acontecem de 1 a 7 de Julho, em toda a província.

Gastronomia

Os pratos típicos são muambas, nthsombe (espécie de larvas apanhadas em árvores, cozidas e tostadas) e catatos, acompanhados de funge ou verduras. A bebida típica é o Malavo (ou marufo), retirada da árvore chamada bordão.

PATROCINADORES